Vídeos com artistas brasileiros a favor do casamento igualitário são lançados no Rio de Janeiro

13/04/2012 | Notícia
A campanha tem o apoio de artistas de peso como Arlete Salles, Alexandre Nero, Chico Buarque, Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Marisa Monte. O deputado Jean Wyllys defende a necessidade de uma emenda constitucional.

 

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos”, diz Arlete Salles, recitando um parágrafo da Declaração Universal dos Direitos Humanos, no começo de um dos vídeos de apoio ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, lançado ontem à noite no Galeria Café em Ipanema. Além da Arlette, participam dos vídeos, os atores “globais” Alexandre Nero (Fina estampa), Tuca Andrada (Cordel encantado), Mariana Ximenes (As brasileiras), Fabiula Nascimento (Avenida Brasil), Mônica Martelli, MV Bill (Malhação) e Gutta Stresser (A grande família), os/as cantores/as Zélia Duncan, Preta Gil, Ney Matogrosso, Serjão Loroza, Ivan Lins, Sandra de Sá e Rita Ribeiro e os cineastas Luiz Carlos Lacerda, Neville d’ Almeida e Daniel Ribeiro

No primeiro vídeo projetado ontem, o casal Cláudio Lins e Alexandra di Calafiori, também participam. Tudo isso  faz parte de uma campanha  nacional de apoio à proposta de emenda constitucional do deputado Jean Wyllys, que tem como co-autora a deputada Érika Kokay e já foi assinada por parlamentares de diferentes partidos, que visa aprovar o casamento igualitário no Brasil. No evento de lançamento da campanha, foi lido um abaixo-assinado com o apoio, entre outros, de Caetano Veloso, Chico Buarque, Marisa Monte, Alcione, Sônia Braga e Cauã Raymond. Os mestres de cerimônia do evento foram Bruno Chateubriand e André Ramos e estiveram presentes, além de Wyllys e Kokay, os deputados federais Chico Alencar e Domingos Dutra, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara

“Na Argentina, o casamento civil entre pessoas de mesmo sexo já é permitido e a questão religiosa lá é tão forte quanto aqui. Mas houve um apoio muito forte da sociedade e é isso que a gente quer criar agora no Brasil. Lá houve grande aprovação e, nas eleições do ano seguinte a aprovação da lei, os que votaram a favor foram premiados pelo povo e a presidenta Cristina Kirchner reivindicou a reforma em sua campanha e foi reeleita com ampla maioria”, disse Jean Wyllys. As deputadas argentinas Vilma Ibarra e Sílvia Augsburger, coautoras da lei aprovada nesse país em 2010 com o apoio da Cristina Kirchner, enviaram cartas de saudação.

Dutra e Kokay, por sua vez, frisaram que a campanha pelo casamento civil igualitário é apartidária e plural e tem apoio de parlamentares de quase todos os partidos.

Compartilhe:

Sites e blogs parceiros

Ultimas notícias

Compartilhe



Facebook

Apoio Institucional